óleos essenciais guia completo

Óleos essenciais – Guia completo

Índice

  1. O que é a aromaterapia?
  2. O que são óleos essenciais?
  3. Quais os principais óleos essenciais?
  4. Como são extraídos os óleos essenciais de uma planta?
  5. Que propriedades tem os óleos essenciais?
  6. como usar os óleos essenciais?
  7. Como atuam os óleos essenciais?
  8. Como podem os óleos essenciais aplicados na pele tratar um órgão no interior do corpo?
  9. Pode usar-se óleos essenciais durante a gravidez?
  10. Os óleos essenciais podem ser utilizados num bebé ou numa criança pequena?
  11. Qual a diferença entre óleos essências e flagrâncias (por vezes chamadas de essências)?
  12. Porque só deve comprar óleos essenciais de um canal de venda fiável?
  13. O que são óleos essenciais de grau terapêutico?
  14. O que são óleos essenciais quimiotipados?

O que é a aromaterapia?

Aromaterapia é a ciência, e também a arte da terapêutica, por meio da utilização de substâncias aromáticas naturais – os óleos essenciais.
Por outras palavras “A aromaterapia é o uso de técnicas de inalação, administração oral e tópica de óleos essenciais (massagens, banhos, compressas impregnadas), e utiliza diversos óleos dependendo da ação pretendida. Para além dos óleos essenciais a aromaterapia utiliza como matérias-primas a própria planta aromática, concreto, extratos, absolutos, tinturas, hidrolatos, óleo-resinas, óleo-goma-resinas, resinoides e bálsamos.”

Aromaterapia, cuja palavra só apareceu em 1930, é um ramo de fitoterapia. A fitoterapia está disponível em muitas formas (chás de ervas, extratos secos ou fluidos, macerados, xaropes, suspensões integrais de plantas frescas, etc.) utilizando várias partes da planta. Na aromaterapia, utiliza-se frequentemente uma única parte da planta, e por vezes a planta inteira. As técnicas de extração do óleo essencial são mais delicadas do que as utilizadas em do que as utilizadas na fitoterapia. O óleo essencial obtido é muito ativo do ponto de vista terapêutico e deve ser utilizado com certas precauções.

A aromaterapia trabalha o corpo de uma maneira natural e holística, complementando outras terapias, tanto as convencionais quanto as alternativas, que procuram a cura.

O que são óleos essenciais?

Os óleos essenciais são os extratos vegetais. Não estão presentes em todas as plantas, apenas as que são as “aromáticos” os têm. É a própria “essência” da planta.
Quando descasca uma laranja ou uma tangerina, ou aproxima um raminho de lavanda as suas narinas, o cheiro que emana é o da essência, que se tornará óleo essencial após destilação ou prensagem a frio. Mas este perfume não contém apenas moléculas aromáticas: contém também uma série de substâncias químicas com ações terapêuticas muito poderosas. Entre eles, alguns são antissépticos, outros antivirais, outros suavizantes ou curativos.

De ponto visto científico os óleos essenciais são “misturas complexas de compostos naturais extremamente voláteis, com carácter hidrofóbico, caracterizadas por odores fortes e por possuírem ações terapêuticas. Os seus aromas característicos são provenientes da grande variedade desses compostos químico…Estas estruturas secretoras podem ser externas, e osmóforos, ou internas, canais e bolsas, podendo ser encontradas em várias partes destas plantas, nomeadamente, folhas, frutos, flores, gomos, sementes, ramos, cascas, raízes e caules, podendo a sua composição variar consoante a sua localização …Os óleos essenciais têm uma composição extremamente complexa, podendo ter entre dezenas a centenas de compostos, sendo geralmente o constituinte em maior concentração aquele que confere a atividade biológica do óleo essencial, no entanto, muitas vezes essa atividade resulta do sinergismo entre vários”

Existem 800.000 plantas na terra, das quais 10% são aromáticas, ou seja, contêm pequenas glândulas cheias de uma essência aromática. Esta essência aromática é muito poderosa, porque protege a planta de parasitas, infeções, luz solar, insetos, etc. Na aromaterapia, apenas a parte mais rica da planta é colhida e destilada. Esta essência da planta não é solúvel em água e é mais leve que a água, razão pela qual é maioritariamente destilada.
Uma gota de óleo essencial requer várias centenas de quilos de plantas, o que explica o seu preço por vezes tão elevado.

Por exemplo, a hortelã (ou menta), tem um cheiro intenso e sabemos, de forma empírica, que tem um efeito refrescante (e é por isso que é frequentemente usada em pastilhas elásticas, pasta de dentes, etc.) mas se a esfregar na pele, nada acontece, sente o cheiro a menta mas a sua ação é muito leve, porque esta essência é volátil, desaparece no ar. Seria necessário fazer cataplasmas durante várias horas para que esta essência pudesse difundir a sua ação no seu corpo. Com um óleo essencial, é como fazer uma cataplasma de 100 kg de menta… Uma pequena gota é tão potente que pode ser absorvida pela sua pele e depois difundida na sua corrente sanguínea e o seu princípio ativo pode atuar em todo o corpo.

Quais os principais óleos essenciais?

Óleo essencial Ação terapêutica / Propriedades
Alecrim Mucolítico, regulador hepatocitário, regulador endócrino, lipolítico
Árvore do chá (Tea Tree) Antibacteriano, fungicida, parasiticida, radioprotetor
Bergamota Antibacteriano, carminativo, digestivo, laxativo, calmante e sedativo
Canela da China Antibacteriano muito poderoso, anticoagulante e fluidificante sanguíneo, tónico uterino e emenagogo
Citronela de java Anti-inflamatório, repelente de insetos, desodorante
Eucalipto Anticatarral, expetorante, antibacteriano
Gengibre Tónico digestivo, carminativo, tónico sexual, antálgico
Gerânio Hemostático, anti-inflamatório, tónico cutâneo
Hortelã pimenta Anestésico, analgésico, anti-inflamatório, digestivo, vasoconstritor
Laranja doce Calmante, sedativo, carminativo, tónico digestivo
Lavanda verdadeira Antibacteriano, antálgico, analgésico, indutor do sono, calmante
Limão Antibacteriano, antissético, depurativo, lipolítico
Patchouli Descongestionante venoso, anti-inflamatório
Ravintsara Antiviral e estimulante imunitário, antibacteriano, anticatarral expetorante
Salvia Esclareia Semelhante ao estrogénio, regulador circulatório, antimicótico, neurotónico
Tangerina Tónico digestivo, calmante do SN simpático, relaxante, hipnótico ligeiro
Toranja Tónico energético, drenante hepático, adelgaçante, antisséptico atmosférico
Ylang‐ylang Antidepressivo, relaxante nervoso, hipotensivo, tónico sexual

Como são extraídos os óleos essenciais de uma planta?

Há vários métodos, dependendo da planta utilizada. Não se extrai da mesma forma a partir de óleo essencial de canela ou de tangerina. Os dois métodos de extração mais comuns são:

Destilação: a mais difundida, pois é adequada para a maioria das plantas – De forma simples o vapor de água é “enviado” para a planta, e à medida que passa por ela é carregado com a fração volátil que um aparelho especial “recuperará” por arrefecimento.

óleos essenciais, como é extraído, destilação

Expressão (prensagem a frio): a parte da planta em questão é prensada mecanicamente para extrair o óleo essencial, tipicamente a pele dos citrinos – laranja, limão, tangerina.

O resultado, o óleo essencial, é considerado como a quintessência da planta. É por isso que as garrafas são pequenas e podem parecer caras, mas apenas algumas gotas são usadas de cada vez.
É fácil compreender porque é que o manuseamento dos óleos essenciais deve ser preciso e rigoroso.

Que propriedades tem os óleos essenciais?

Dada a sua extraordinária riqueza em diferentes moléculas bioquímicas, muitas vezes mais de 200, é fácil depreender que cada óleo essencial tem várias propriedades. Ao contrário dos medicamentos convencionais, que geralmente contêm uma molécula, correspondente a uma propriedade. “Uma das atividades mais bem conhecida é o poder antimicrobiano dos óleos essenciais. Mas estes podem também atuar em afeções do sistema respiratório, gastrointestinal, sistema nervoso central, sistema circulatório e cardíaco, entre outras patologias”

Não esqueçamos que o seu papel inicial é o de proteger naturalmente a planta contra doenças, invasões de pragas, etc.

Como usar os óleos essenciais?

Existe 3 formas de usar os óleos essenciais, Uso tópico, inalação e interno:

A aplicação tópica refere-se à colocação de óleos essenciais em algumas áreas do corpo, inclusive a pele, o cabelo, as unhas ou os dentes. Existem muitos benefícios da aplicação tópica. Os efeitos terapêuticos podem ocorrer tanto no local de aplicação quanto em toda a corrente sanguínea para atingir diferentes órgãos dentro do corpo.

oleos essenciais como utilizar uso tópico

  • Aplicação direta: o método mais simples de aplicação tópica; refere-se à aplicação de óleos diretamente na área afetada. Geralmente, 1 a 3 gotas de óleo essencial são mais que suficientes para aplicação direta.
  • Massagem: é a estimulação de músculos, pele e tecidos conjuntivos. Para criar um óleo de massagem, adicione 10 gotas de óleo essencial ou misture em 1 colher de sopa (15 ml) de óleo base.
    Banhos: Os óleos são insolúveis na água, pelo que não é aconselhável usá-los sozinhos, sem solvente. As duas formas mais fáceis de os utilizar são misturá-los com sal de banho, ou diluí-los num gel de duche ou champô antes de os utilizar.
  • Compressas: Os óleos também podem ser utilizados em compressas para prolongar o seu contacto com a pele (passar a compressa sob água quente ou fria e espremer antes de aplicar algumas gotas).
  • reflexologia/Terapia de reflexo: É um método de aplicação de óleos nos pontos de contato ou
    terminações nervosas nos pés ou nas mãos.

Uso por Inalação: pode ter muitos benefícios para o corpo e a mente porque nosso sentido olfativo está intimamente ligado à parte do cérebro que controla as emoções e a memória de longo prazo. A inalação do aroma ou pulverização de um óleo essencial pode influenciar fortemente essas áreas do corpo, bem como o sistema respiratório.

oleos essenciais como utilizar inalação

  • Inalação direta: Os óleos podem ser inalados diretamente do recipiente ou aplicados nas mãos e colocados próximos à boca e ao nariz para influenciar rapidamente o humor e as emoções.
  • Difusão: a maneira mais fácil de espalhar os óleos essenciais em todo o ambiente. Um difusor pode fazer isso com qualquer óleo essencial favorito ou mistura de óleos.
  • Ventiladores: algumas gotas de óleo essencial num algodão e prendendo-o a um ventilador portátil,

Uso interno: A aplicação interna refere-se ao consumo de óleos. Tomar certos óleos essenciais afeta internamente o sistema digestório, e muitos óleos podem passar para a corrente sanguínea dessa maneira e circular rapidamente para muitas áreas do corpo. Os óleos usados como fragrâncias ou qualquer outro óleo que não seja rotulado como seguro para uso interno nunca devem ser usados internamente.

  • Sublingual: colocar uma gota ou duas de óleo essencial debaixo da língua. Essa é uma das
    formas mais eficazes de se aplicar os óleos essenciais internamente
  • Cápsulas: 1 a 10 gotas de óleo essencial dentro de uma cápsula vazia.
  • Bebidas: Simplesmente coloque 1 gota de óleo essencial em 1 a 4 chávena (250 a 1.000 ml)
  • Culinária: quantidades muito pequenas são necessárias ao cozinhar; muitas vezes, um palito de dente mergulhado no óleo e agitado no alimento é o suficiente
  • Via retal: O Supositório com óleo essencial é um método muito usado em França. Requer acompanhamento de um profissional.
  • Via intravaginal: Ovulo vaginal, lembre-se de se certificar de que os óleos essenciais escolhidos não irritam as mucosas. Procure aconselhamento antes de usar este método

Como atuam os óleos essenciais?

A eficácia terapêutica dos óleos essenciais deve-se à sua extrema potência e composição química. Algumas moléculas matam as bactérias, outras impedem a sua reprodução, outras ainda ajudam a reparar a pele afetada, estimulam ou abrandam a troca de neurotransmissores no cérebro. Este último ponto explica a notável eficácia de muitos óleos essenciais contra perturbações nervosas.

Como podem os óleos essenciais aplicados na pele tratar um órgão no interior do corpo?

Quando um óleo essencial é aplicado na pele, os ingredientes ativos passam rapidamente através da epiderme para a corrente sanguínea. A partir daí, chegam ao órgão doente. É por isso que, após uma massagem da coluna vertebral ou a sola dos pés com um óleo essencial de eucalipto (para tratar bronquite), alguns minutos mais tarde, a respiração é agradavelmente perfumada… com eucalipto! O caminho é fácil de reconstruir: os ingredientes ativos passaram para a corrente sanguínea e atingem os pulmões.

O mesmo se aplica aos sistemas digestivo e urinário, distúrbios nervosos, dores de cabeça, etc. Além disso, os óleos essenciais não só atuam rapidamente e bem, como também permanecem ativos durante muito tempo no corpo (cerca de 6 horas). É por isso que, é aconselhável frequentemente a aplicação externa para tratar problemas gerais, e não apenas para melhorar o estado da pele.

Interroga-se se a eficácia foi testada e comprovada? Resposta: Sim, em muitas ocasiões! Vejamos o caso de uma dor de cabeça. Nesta indicação, o óleo essencial de hortelã-pimenta (aplicado localmente) tem estudos controlados com placebo e paracetamol 1 g. Provou-se ser superior ao placebo e tão poderoso como o paracetamol. O óleo essencial de lavanda demonstrou ser útil nas dores de cabeça de tensão associadas a contraturas cervicais, em associação com acupressão. Os estudos mostram um alívio rápido (logo nos primeiros minutos para alguns) e duradouro (logo nos primeiros 5 minutos  para alguns) e de longa duração (sem “recorrência” nos 12 horas seguintes). Um verdadeiro sonho para todas as vítimas de dores de cabeça, sendo que agora existem pequenos rolos “anti-enxaquecas”, contendo vários óleos essenciais analgésicos, que são muito práticos de utilizar para deslizar para a sua bolsa e usar assim que os primeiros sintomas surgirem.

Pode usar-se óleos essenciais durante a gravidez?

oleos essenciais gravidez

Os óleos essenciais estão proibidos durante o primeiro trimestre de gravidez. Durante os dois últimos trimestres, alguns podem ser utilizados (como limão e Bergamota), mas apenas por indicação de um profissional de saúde (médico, farmacêutico) especializado em aromaterapia.
Procure sempre o conselho do seu médico ou farmacêutico antes de utilizar um óleo essencial se estiver grávida. Ter em mente que, como princípio de precaução e salvo prescrição, é melhor evitá-los durante a gravidez. O mesmo se aplica às mães lactantes, uma vez que os óleos essenciais passam para o leite materno.

Os óleos essenciais podem ser utilizados num bebé ou numa criança pequena?

Sim, eles são particularmente recetivos a eles. Mas alguns óleos essenciais são proibidos para bebés com menos de 3 meses e outros para crianças com menos de 6 anos de idade. A partir desta idade, a maioria dos óleos essenciais pode ser utilizada de acordo com certos métodos, dosagem e via de administração: de preferência rectal e cutânea. Em geral, o número de gotas de óleos essenciais utilizado deve ser dividido por 2 ou 4 (dependendo da idade). Procurar sempre informar-se antes de utilizar um óleo essencial pela primeira vez numa criança.

Qual a diferença entre óleos essências e flagrâncias (por vezes chamadas de essências)?

Os óleos essenciais são extraídos diretamente das plantas, seja de sua raiz, caule, semente, flor ou de seu fruto. Estes possuem propriedades e ação terapêuticas, além de propriedades farmacológicas e seu aroma é característico de acordo com a planta de onde foi extraído.

As essências ou flagrâncias são aromas sintéticos desenvolvidos em laboratórios e podem muitas vezes reproduzir com perfeição o aroma dos óleos essenciais. Perfumam o ambiente e nada mais. São “cheirinhos”. Estes aromas são substâncias mais baratas e agem apenas na nossa memória olfativa, já que não possuem ação terapêutica.

Porque só deve comprar óleos essenciais de um canal de venda fiável?

Porque há um verdadeiro tráfico de óleos essenciais. Devido à grande procura por parte do público em geral, imitações e produtos de má qualidade estão por toda a parte. Mesmo em algumas lojas “especializadas”, é possível encontrar produtos duvidosos, por vezes misturados com moléculas sintéticas (não naturais, portanto ineficazes ou mesmo perigosos). Recomendamos óleos essenciais 100% puros de marcas conceituadas fiáveis e certificadas como por exemplo mycosmetik ou Pranarom. No mercado existem muitas marcas “brancas” cujo origem dos produtos é desconhecida. Muito cuidado.

O que são óleos essenciais de grau terapêutico?

Sejamos claros: é uma treta de marketing. Na aromaterapia, o conceito de “grau terapêutico” simplesmente não existe. Qualquer óleo essencial que seja 100% puro e natural tem propriedades terapêuticos, ponto. Os óleos sintéticos (flagrâncias ou essências) não são óleos essenciais e por isso não tem qualquer ação no corpo e na mente. Repetimos e insistimos: essa classificação não existe. Foi criada por uma marca, com forte peso no mercado, exclusivamente para fins de marketing. Não se deixe enganar. O único grau que interessa é “100% puro e natural” e de preferência ser quimiotipado.

O que são óleos essenciais quimiotipados?

Dependendo do biótopo (luz solar, clima, composição do solo, altitude, etc.), a mesma planta pode secretar bioquimicamente essências muito diferentes. Estas variações na composição bioquímica dos óleos essenciais dão origem ao conceito de quimiotipo (CT). Dois quimiotipos do mesmo óleo essencial terão não só atividades diferentes, mas também toxicidade muito diferente.
Vejamos como exemplo:
– Thymus vulgaris CT thujanol: Muito seguro de utilizar, bem tolerado pela pele.
– Thymus vulgaris CT thymol: Dermocáustico e hepatotóxico em doses elevadas e prolongadas.
O desconhecimento desta distinção entre vários quimiotipos e a falta de precisão na identificação de certos óleos essenciais deixa a porta aberta a incidentes relacionados com a sua toxicidade e falhas terapêuticas.

Champô sólido – 4 marcas de confiança
Difusores de óleos essenciais – como escolher?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fechar O meu carrinho
Fechar Favoritos
Visualizado recentemente Fechar
Fechar

Fechar
Navegação
Categorias